Manutenção preventiva depende de lubrificantes

A influência da lubrificação na quebra de máquinas na indústria brasileira ainda é muito alta, tornando-se um fator preocupante para o setor. No Brasil, 72% das falhas em máquinas são por problemas na lubrificação – esse número cai pra 17% no Japão. As causas que mais influenciam nas falhas são o uso de lubrificantes inadequados – fora das especificações e normas –, erro na quantidade de lubrificante utilizado e intervalo de relubrificação não condizente com as condições de serviço. Muitas vezes também se é esquecido de trocar os óleos das máquinas ou de seus compartimentos.


Ainda existe um certo desconhecimento sobre assuntos relacionados a óleos lubrificantes e outros derivados de petróleo que são manipulados pelas indústrias, nos quais precisam ser vistos com mais importância. A lubrificação de máquinas é um desses pontos que atualmente precisa de uma atenção especial. A manutenção preventiva, que passa pelo uso correto de lubrificantes, deve fazer parte do cronograma e do planejamento das indústrias em todos os seus setores industriais.

O uso correto dos lubrificantes reduz a quantidade de manutenções corretivas, diminui a reposição de peças e aumenta a produtividade. Ao implantar um sistema de planejamento e controle de lubrificação e treinamento de pessoal responsável por esta área, é possível reduzir o desgaste excessivo de componentes mecânicos e falhas devido ao emprego de lubrificantes não recomendados, bem como por lubrificação inadequada. O emprego racional de lubrificantes elimina o desperdício e prolonga a vida útil dos lubrificantes em uso e das máquinas. Este controle é feito por meio do acompanhamento das cargas por programa de análise.



Fonte da notícia em: CIMM, com informações de Oil Brasil - 01/11/2010
Compartilhe

Comentários



Mais Notícias: